Saúde Indígena

Embora cada terra indígena apresente vulnerabilidades específicas, de um modo geral, o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) de Belo Monte associa o aumento populacional previsto para a região a riscos para a saúde indígena. A maior circulação de pessoas nos arredores de terras indígenas, bem como o maior contato entre índios e não-índios, poderia levar ao crescimento da incidência de doenças infectocontagiosas. São elencados ainda impactos culturais que poderiam intensificar práticas como prostituição e abuso de álcool e de entorpecentes. Fatores ambientais também entram na conta, como riscos para a qualidade da água na Volta Grande do Rio Xingu e de redução dos estoques de caça e pesca, resultando em alterações no padrão alimentar dos povos nativos.