Malária

A malária tem incidência significativa na Amazônia, sendo transmitida por picada de mosquitos do gênero Anopheles. Como observa o Estudo de Impacto Ambiental (EIA), é uma doença que acompanha o aquecimento econômico: quanto maior a concentração de pessoas em áreas florestais ou de recente desmatamento, a tendência é a ocorrência de mais casos. Em razão do intenso fluxo migratório, bem como a localização das obras de Belo Monte, a malária foi considerada a doença mais propensa ao crescimento e ao contágio. O maior foco de transmissão de malária encontrava-se no município de Pacajá, sobretudo em assentamentos rurais. Já na Área de Influência Direta (AID) de Belo Monte, Altamira e Anapu respondiam por aproximadamente 80% dos casos, entre 2003 e 2007.