Saneamento

Segundo o Estudo de impacto ambiental (EIA), o afluxo de migrantes atraídos para a região poderia agravar condições precárias pré-existentes, como a quase inexistência de serviços de água e esgoto nos municípios da AID e a prevalência de fossas rudimentares e poços artesianos. O impacto diz respeito à qualidade da água para os usos múltiplos do rio Xingu e à saúde da população, num cenário de sobrecarga da administração pública. Além disso, a coleta e destinação inadequadas de resíduos sólidos associadas ao risco de enchentes, na ausência de sistemas eficientes de drenagem, poderiam causar doenças. Observou-se ainda o receio de que o barramento reduziria a capacidade do rio Xingu de dispersar poluentes.