Home > Comitê Gestor Indígena do PBA-CI > Critérios e demandas

Descrição da adequação do CGI aos povos indígenas participantes

Descrição da adequação do CGI aos povos indígenas participantes

Situação em setembro de 2015

O funcionamento do CGI tem sofrido algumas mudanças em função da melhor  adequação aos povos indígenas participantes. A mais relevante destas é a modificação do regimento interno na reunião de  criação de subcomitês para o acompanhamento dos programas do PBA-CI, definidos por Terra Indígena ou afinidades territoriais e étnicas. Conforme percepções da Funai, NE e Verthic isso permite um trabalho mais especifico de acompanhamento na  execução dos programas em cada Terra Indígena, dando maior oportunidade de ajuste na  programação, agendas e conteúdo dos projetos com a participação direta das comunidades indígenas. As primeiras atas dos subcomitês registram a expectativa que esses espaços sejam mais efetivos para resolução dos diferentes problemas e demandas relativas ao PBA-CI e outras. Lideranças indígenas entrevistadas queixam-se, contudo, que os funcionários da Funai e empresas executoras do PBA-CI que acompanham os subcomitês tem pouco poder de decisão, comparado aos membros representantes destas instituições no âmbito das reuniões do PBA-CI em Altamira.

Aumentar a representatividade dos diferentes povos na participação das reuniões do PBA-CI foi, conforme Funai, um dos objetivos da descentralização das reuniões do CGI. Nos subcomitês há possibilidade das discussões serem na língua indígena, contando com tradutores.

Na reunião ordinária 5, em abril de 2015, lideranças Xipaya elogiaram publicamente a participação de cada vez mais pessoas de todos os diferentes povos nas discussões do CGI comentando que no inicio poucas pessoas falavam nas plenárias.